Texto por Colaborador: Redação 07/12/2021 - 20:02

Após participar das Copas Libertadores de 2019, 2020 e 2021, o Internacional terá que amargar um 2022 com voos mais baixos, que impactarão o já debilitado caixa do Beira-Rio.

Isso porque somente participar da principal competição representaria um ganho de U$ 500 mil (R$ 2,8 milhões na cotação atual), que o Inter receberia inicialmente na segunda fase preliminar do torneio. Segundo o jornalista JOÃO PRAETZEL, de GZH, uma melhor colocação no Brasileirão também garantiria mais dinheiro para os cofres. Na atual posição (12º), o SCI teria direito a apenas R$ 14,6 milhões. Classificando-se à Libertadores (alcançando o oitavo lugar), ficaria com R$ 21,4 milhões, uma diferença de R$ 6,8 milhões. Somado com o valor garantido na competição sul-americana, o Inter deixaria de ganhar R$ 9,6 milhões. 

Já na Sul-Americana, ao disputar a fase de grupos da Copa Sul-Americana, o Colorado garante US$ 300 mil (cerca de R$ 1,6 milhão) por cada partida como mandante na competição, totalizando US$ 900 mil (R$ 5 milhões), praticamente R$ 11 milhões a menos que da mesma fase da Libertadores.  

Também cabe lembrar que a desastrosa saída para o Vitória na Copa do Brasil significou perdas de R$ 6,15 milhões em premiações que estavam projetadas no planejamento orçamentário desenhado para a temporada. A projeção era chegar ao menos às quartas de final da competição. O Colorado recebeu apenas R$ 1,7 milhão por disputar a competição, referente à terceira fase.

Com esse cenário desastroso, fica complicado para Barcellos & Cia falarem em reengenharia financeira.

PREMIAÇÃO LIBERTADORES

Fase de Grupos - US$ 3 milhões (R$ 16,7 milhões) 

Oitavas de final - US$ 1 milhão (R$ 5,5 milhões)

Quartas -  US$ 1,5 milhão (R$ 8,3 milhões)

Semis - US$ 2 milhões (R$ 11,1 milhões)

Vice-campeão - US$ 6 milhões (R$ 33,5 milhões)

Campeão - US$ 15 milhões (83,7 milhões)

PREMIAÇÃO BRASILEIRO

Categorias

Ver todas categorias

Mano deve permanecer em 2023?

Sim

Votar

Não

Votar

911 pessoas já votaram