Texto por Colaborador: Redação 01/01/2022 - 18:01

Destaque colorado na última temporada, Yuri Alberto já teve seu nome ligado a vários gigantes europeus, como Barcelona, Liverpool e Milan. Jogador mais valioso do elenco gaúcho - com vínculo até 2025 e avaliado em 20 milhões de euros -, Yuri não é nenhuma surpresa para o técnico Márcio Zanardi, que comandou o jovem desde os tempos de Vila Belmiro. Em entrevista a ESPN.com.br publicada neste sábado (1), o atual comandante do São Bernardo Futebol Clube comentou do grande potencial do centroavante alvirrubro e das armadilhas nesse caminho. Confira suas principais declarações:

"Acredito que se for para a Premier League fará muito sucesso porque tem a cara de lá. É um futebol rápido. Ele é um jogador agudo, tem o um contra um excepcional. Tem muita força, se posiciona bem dentro da área e finaliza como poucos, tem muita qualidade. Já jogou como atacante de beirada e como um centroavante. Ele tem muito a cara do futebol inglês (...)  Nada mais natural do que dar um salto como esses. Precisa ter a cabeça no lugar e não se deslumbrar. Agora que virou pai e está casado amadureceu muito cedo. Se não deixar as coisas extracampo atrapalharem será um grande jogador".

Tempo de Base no Santos: "Ele sempre foi muito dedicado, forte e trabalhador. O André Jardine levava sempre para a seleção e eu conversava muito com ele. Sabia que ele precisava sair um pouco do Santos para sair daquele ares. Quando foi para o Inter aconteceu tudo que estávamos projetando para ele. Sempre foi um artilheiro e muito inteligente. É um jogador que passamos um ano juntos e nos divertimos muito porque é muito engraçado".

"Eu sempre conversei muito porque o Yuri sempre chegou com carro importado. Eu falei: ‘Pô Yuri, compra uma casa para os seus pais, que estão em São José dos Campos. Agora não é hora. O dinheiro é a consequência de um grande trabalho. Tua hora vai vir’. Eu sempre pegava muito pé nessa questão de gastar muito dinheiro. Eles ficavam preocupados em gastar e virem para os treinos porque sabia que eu daria uma dura neles. Ele sempre me escutou muito e quis cuidar da família. É algo normal ganhando muito dinheiro muito cedo".

"Ele adora videogame e montava aquelas estruturas no quarto. Eu falava: 'Compra primeiro uma casa ou apartamento depois você faz isso'. Eu era tido como chato, mas quando a gente quer ensinar essas coisas sempre marcam a gente. Ele sempre me ouviu. Foi um jogador que trabalhou muito para estar aonde está".

Categorias

Ver todas categorias

Mano deve permanecer em 2023?

Sim

Votar

Não

Votar

911 pessoas já votaram