Texto por Colaborador: Redação 19/11/2022 - 00:00

O jornalista Fabrício Falkowski, via Correio do Povo, trouxe informações preocupantes em relação ao quadro financeiro do Internacional de 2022 para 2023.

Conforme o repórter na sexta-feira (18), os números publicados no portal da transparência trazem um déficit nos primeiros nove meses do ano - entre janeiro de setembro - na casa dos R$ 38,1 milhões. Em geral, houve incremento das receitas, mas o aumento das despesas foi maior, principalmente com o futebol, que extrapolou (e muito) o orçamento do período.

Entre janeiro e setembro deste ano, o SCI gastou R$ 154,3 milhões com o pagamento de salários, direitos de imagens e encargos sociais e previdenciários de todos os jogadores com contrato profissional, incluindo o futebol feminino, e das comissões técnicas. Em 2021, no mesmo período, o valor investido foi de R$ 91,4 milhões, ou seja, um acréscimo de cerca de 70%.

Assim, o Inter gasta R$ 17,1 milhões por mês com futebol (salários, encargos e direitos de imagem de todos os jogadores e comissões técnicas), o maior montante da história.

Nesse cenário preocupante, a gestão de Alessandro Barcellos precisará fazer um trabalho de rebaixamento da folha antes de fechar as contratações para a próxima temporada, com figuras carimbadas como Edenílson, Taison, Daniel, entre outros, em foco. No sentido inverso, vendas também deverão ser feitas, com Maurício, Johnny e Bustos os mais "quentes" a saírem em caso de boa propostas.

Por fim, ainda cabe relembrar que, embora o clube tenha arrecadado um bom prêmio pelo vice-campeonato brasileiro, boa parte dos mais de R$ 41 milhões de reais voltará para o bolso dos próprios jogadores, em "premiação".

Categorias

Ver todas categorias

Alemão demonstrou capacidade suficiente para ser o n°9 titular em 2023?

Sim

Votar

Não

Votar

203 pessoas já votaram