Texto por Colaborador: Redação 07/08/2022 - 21:03

Confira um compilado com as principais declarações do técnico Mano Menezes após o duelo diante do Fortaleza (3x0) deste domingo (7), em partida pela 21° rodada do Brasileirão:

Derrota e atuação: "Estamos envergonhados com o resultado e com a atuação, a partir do momento que tivemos um homem a mais. Se olhássemos sem saber quem estava com 10, parecia que o Fortaleza estava com 11, e não a gente. Em função disso, todo o planejamento para o jogo ficou prejudicado. Não queríamos terminar com o Alan Patrick, nem o Bustos. Kaíque disse que tinha condições, mas vimos que não tinha e isso levou a mais uma alteração.” Um erro foi se sucedendo a outro erro e isso levou a tudo que vimos hoje aqui. Apesar de considerarmos um fato isolado, não pode acontecer, pelo nível de qualidade que temos e pela maneira que o jogo se colocou. Tínhamos que saber nos comportar. Não tivemos paciência para rodar a bola, tínhamos que ter paciência. Nos faltou pela segunda vez, maturidade para saber como se comportar quando temos a vantagem numérica.”

Possível falta de foco na partida: “Poderia ser cômodo dizer que não estávamos focados. Iniciamos focados. Nos perdemos quando tivemos uma superioridade numérica, cedo no jogo.”

Remobilizar o grupo: "No futebol e na vida sempre faz das pancadas uma mola propulsora para a retomada logo em seguida. Foi assim quando perdemos para o Colo-Colo, com comportamentos semelhantes ao de hoje. A equipe vai responder bem na quinta-feira. Algumas oscilações ainda acontecem. Certamente o que aconteceu hoje, por mais duro que seja, por mais triste que seja pro torcedor e pra nós, vai ter um lado positivo para o que precisamos fazer na quinta-feira. Se tivesse que acontecer um dia, que fosse hoje, não quinta.”

Cartões amarelos em sequência: “Aí que está a nossa experiência como equipe. Quando falo experiência, não falo de idade. Falo de maturidade como equipe. Cada equipe vai se formando e tem situações diferentes. Não soubemos fazer isso.”

Arbitragem: “Eu falo sempre que o árbitro não é um super-homem, ele está no ambiente do jogo. Quando ele dá um cartão vermelho cedo ao Fortaleza, nós é que temos que saber como nos comportar. Nós é que não podemos ser ingênuos.”

Prejuízos ao planejamento: “Perdemos um dia de recuperação para treino. Vamos chegar de madrugada e na segunda os jogadores vão descansar. Vamos retomar na terça, recuperando os que jogaram. A maior preocupação é com Alan Patrick. Bustos vai fazer tranquilamente o que está fazendo. A ideia era fazer o Alan jogar 60 minutos, e foi possível ver que nos últimos minutos ele não conseguia mais.”

Postura fora de casa: “Até pouco tempo tínhamos uma campanha melhor fora do que em casa. Já tivemos comportamentos bons fora de casa, e também muito bons dentro de casa. Mudamos bastante a equipe, algumas oscilações acontecem.”

Atacante titular para quinta: “Não vamos improvisar. Temos um atacante contratado para a função. Vamos iniciar o jogo com Romero na função de Alemão.”

Braian Romero: “Ele tem uma característica e precisamos entender isso. Vamos trocar um jogador de força física, por um de profundidade e movimentação. Não posso nem reclamar dele, a equipe não fez exatamente o que deveria fazer.”