Texto por Colaborador: Redação 08/12/2023 - 06:00

Em uma entrevista muito bem feita e organizada na noite de quinta-feira (7) pela Rádio Inferno - onde diversos jornalistas dos principais veículos tiveram a oportunidade de questionar o candidato - o atual mandatário e concorrente à reeleição no Internacional, Alessandro Barcellos, da Chapa 1, falou sobre inúmeras questões referentes ao clube para uma possível renovação de mandato a partir do triêno de 2024-2027. Confira um compilado com os principais trechos: 

Sobre a relação executivo com o Inter e Magrão: "Quando falamos em organograma de futebol, temos que entender que no Inter, existe um departamento realmente profissionalizado, não penas com profissionais, mas também com processos. Quando falamos que não acreditamos em um único executivo de futebol, queremos dizer que acreditamos em processos, que necessitam de mais de uma pessoa, de várias especializadas em cada uma das áreas  (...) O Magrão não veio como um ídolo, mas como um grande profissional. Um profissional que tem os valores que achamos determinantes para um gerente de futebol."

Sobre o investimento de 100 milhões: "São os que estarão disponíveis para o na ano que vem, 40 a 45 de todo investimento parte dele veio do aumento do número de sócios, que batemos o recorde do clube. Além disso, estamos adiantado em conversas com duas empresas para patrocínio. Com recursos da LFF reduziremos a divida e dai sairão 40 a 45 milhões para investimento".

A respeito de Scarpa e contratações: "Existia um vazamento de informações sobre contratações, que estão voltando nesse pleito. São informações que irão iludir o torcedor e se por ventura acontecer eu tenho certeza que irão quebrar o clube."

Viabilidade das negociações: "Estou falando aqui em números viáveis, isso dá um parâmetro do que é possível. O Orçamento é 9 milhões de dólares para defesa, meio e ataque. Quando você fala de um jogador com oferta recusada de 15 milhões de dólares está falando de duas vezes o orçamento." (Em relação a Scarpa e Claudinho) "Estamos falando de duas negociações envolvendo valores de até 5 vezes de diferença."

Trabalho de Grossi e base: "Pelo que o candidato da oposição tem falado sobre o trabalho de base, o Grossi não irá trabalhar com ele.... A base vinha em queda em anos, de 2015 para cá os jogadores relevados iam diminuindo. Hoje a base trabalha junto ao profissional com o Coudet. Parte do investimento em base será em jovens sub 16, que antes não tinha."

Mudança no conselho de gestão: "O conselho atual não tinha o desejo de continuar, eram profissionais que estavam no clube a bastante tempo, entendendo a importância de renovar. Esse novo conselho vem com um perfil diferente."

Sobre transformar o discurso em algo concreto: "Quando tive a oportunidade de ser professor meu maior desafio era transformar a teoria em prática. Por exemplo a teoria das estratégias em algo palpável, então fui atrás de grandes empresas e trazer grandes profissionais, fazendo os alunos entender aquilo como algo concreto. Transformar o discurso em prática é o que todo dirigente tem que fazer."

Sobre as declarações de Melo sobre não ter a dívida herdada não ser de 600 milhões: "Temos um adversário que confunde dividendos com debêntures. Gastamos menos em 2020, que 19 e 18. Essa questão dos números não dizem respeito a realidade. Nós abrimos os números do Internacional em diversas instituições financeiras do Brasil onde se enxerga a evolução desses números. Agora é enfrentamento nominal. É aí que surge os recursos para abater a dívida a cada ano.

Categorias

Ver todas categorias

Você está otimista para a temporada 2024 do Inter?

Sim

Votar

Não

Votar

232 pessoas já votaram