Texto por Colaborador: Redação 05/12/2022 - 10:00

O Inter terminou a temporada de 2022 como vice da Série A, enquanto o Grêmio finalizou com o mesmo segundo lugar, só que na Série B. Consequentemente, muitos poderiam imaginar o Inter gastando mais que o rival quando o assunto é folha salarial, ainda mais em ano de Libertadores. Ledo engano.

Em virtude de uma temporada inteira de prejuízos na segundona, o valor da folha salarial gremista para 2023 sofrerá um reajuste em relação às últimas participações do clube na Série A do Campeonato Brasileiro. A nova direção planeja gastar mensalmente, com jogadores e comissão técnica (futebol masculino), a quantia de aproximadamente R$ 10 milhões – valor significativamente inferior aos R$ 14 milhões desembolsados pelo tricolor em 2021, ano em que foi rebaixado pela terceira vez. Ademais, o cenário econômico no rival do Humaitá também não está fácil, com dívidas deixadas pela gestão anterior, capitaneada pelo ex-presidente Romildo Bolzan Júnior. Isto porque, segundo o CEO Carlos Amodeo, o Grêmio solicitou empréstimos bancários e adiantou parte da cota de TV de 2023 para pagar salários, imagens e outras despesas. O Conselho Deliberativo aprovou a previsão de R$ 388 milhões de receita bruta.

Já em relação ao Colorado, a folha salarial - segundo o presidente Alessandro Barcellos ao programa Os Donos da Bola - será inferior, com o teto de gastos batendo na casa dos R$ 8,5 milhões (eventualmente podendo chegar nos 9), ou seja, teoricamente 1,5 milhões a menos. Atualmente, a folha vermelha é de R$ 8 milhões. O projeto da gestão alvirrubra é seguir fazendo "menos com mais", como na campanha deste ano na Série A. Com uma folha bastante inferior a Flamengo, Corinthians ou Atlético-MG, o SCI confia que dinheiro não necessariamente comprova um bom time.

Matéria de SomosColorados.com

Categorias

Ver todas categorias

Alemão demonstrou capacidade suficiente para ser o n°9 titular em 2023?

Sim

Votar

Não

Votar

734 pessoas já votaram