Texto por Colaborador: Redação 27/10/2022 - 04:55

O ano colorado foi caótico, entre vexames e grandes jogos o grupo colorado foi se formando, mas após a chegada de Mano Menezes algo parece ter mudado. Apesar do revés contra o Melgar a equipe foi amadurecendo pouco a pouco até se tornar sólida e constante.

Não haveria de ser diferente contra o Ceará, em pleno Beira-Rio. Apesar do primeiro tempo abaixo do esperado e uma parcial derrota, não houve vaias a equipe no intervalo e esse é o maior termômetro de que o Inter vem trabalhando com êxito e seriedade.

Logo na virada do segundo tempo, já se viu uma mudança de ânimo e aos acostumados parecia apenas tempo para o Inter virar o jogo. Sentimento esse dado pela confiança que a equipe conquistou perante a torcida, não foi um grande segundo tempo do Inter e nem precisou. A equipe foi madura e resiliente, isso garantiu a vitória colorada.

O mais importante a ser ressaltado é que o Inter finalmente conseguiu criar um grupo confiável. A atuação sólida do Renê, da dupla de zaga e do meia Carlos De Pena demonstram isso. Apesar da grande fragilidade no meio campo colorado, personificadas na falta de um camisa cinco e na falta de envolvimento de Alan Patrick, principalmente no primeiro tempo. O Inter ainda assim teve um jogo tranquilo.

Ainda é importante ressaltar a partida de entrega de Edenilson, sacrificado em uma posição que não é a sua e aparecendo na frente para marcar. Além da partida interessante do garoto Igor Gomes que apesar do pênalti teve muita entrega e demonstrou boas características defensivas e uma boa imposição física.

Texto por: Vinicius Rosa / _v_rosa

 

Categorias

Ver todas categorias

Alemão demonstrou capacidade suficiente para ser o n°9 titular em 2023?

Sim

Votar

Não

Votar

203 pessoas já votaram